PANTANAL SUL

Após 20 anos, Parque Nacional da Serra da Bodoquena será aberto aos turistas


Por Marcelo Tognini 00 de julho de 2020 2 Comentários

não é

Os turistas, enfim, vão poder visitar uma das mais importantes atrações naturais do Brasil. O Parque Nacional da Serra da Bodoquena, uma unidade de conservação com 76.480 hectares que abrange os municípios de Bodoquena, Bonito, Jardim e Porto Murtinho, em Mato Grosso do Sul, será aberto para fins turísticos como e irá reforçar o elenco de destinos nacionais de atividades do turismo de aventura.

A abertura do Parque Nacional da Serra da Bodoquena para o turismo vem sendo debatida desde a sua criação em 2000. Mas só este ano, ou seja, 20 anos depois, a ideia se tornará realidade, conforme o Edital nº 1/2020, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão responsável pela administração do parque, publicado em 13 de julho último no Diário Oficial da União, que credenciou 177 prestadores de serviços (Veja a lista dos aprovados) para condução de turistas, locação de equipamentos e transporte terrestres de pessoas.

Os esportes de aventura estarão no centro das atividades, mas isso não será impedimento para que qualquer pessoa contemple as belezas naturais do parque. Na lista das atrações turísticas autorizadas estarão a Caminhada (trilhas de curto e médio percurso), Cicloturismo (bike), Acampamento, Banho no Rio Perdido, Canoagem, Boiacross, Flutuação, Stand Up Padlle e Observação da Fauna (aves e outros animais).

Atenção para as regras – O parque terá uma novidade no modelo de gestão. Os passeios terão venda direta via site do Parque Nacional da Serra da Bodoquena, ou seja, a compra não passará pelas agências de turismo. As pessoas interessadas poderão entrar no site, fazer a sua opção entre os condutores credenciados e adquirir o seu passeio.

Além das normas de biossegurança do novo normal imposto pela pandemia da Covid-19, o Edital 01/2020 estabelece regras para que as visitações aconteçam de forma controlada e sem danos ao meio ambiente. Por exemplo, cada condutor de visitantes poderá atender no máximo 10 pessoas por grupo, e no caso de grupos maiores outro condutor deve ser convocado para compor a equipe.

Os condutores credenciados tiveram que passar por um Curso de Condução de Visitantes, realizado online pela WWF (Fundo Mundial para a Natureza), que incluiu inclusive ações de primeiros socorros, e só poderão atuar mediante a certificação de experiência em turismo de natureza, mas a falta de estrutura adequada para recepção e segurança dos visitantes segue sendo uma preocupação.

Em junho de 2018 o ICMBio anunciou uma proposta de abertura do turismo no Parque Nacional da Serra da Bodoquena que previa investimento de R$ 4,6 milhões em infraestrutura.

“Mas nada avançou desde então. Os acessos são difíceis e no caso de acidentes não tem como pedir socorro porque dentro do parque não pega sinal de celular”, disse agente de turismo em Jardim, que pediu anonimato para não ser visto como opositor ao uso do parque para fins turísticos. “Pelo contrário, sou muito favorável”, ressaltou.

Sobre essa questão, o próprio edital esclarece que o Parque Nacional da Serra da Bodoquena não possui serviço de resgate. Alerta para que se evite atividades de alto risco e pede para que em casos de acidentes sejam acionados o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU 192, o Resgate do Corpo de Bombeiro – 193 ou se reportar à equipe de funcionários do parque pelo telefone (67) 3255-3979.

“Confesso que não estava sabendo dessa novidade, mas acho interessantíssimo ter um parque nacional aberto para visitação turística. Isso nos dará um novo status”, comentou Luciana Garcia, da agência Acqua Viagens, de Bonito.

A empresária Kassilene Cordeiro, proprietária do Bonito Ecotel e da operadora H20 Ecoturismo e Eventos, tem a mesma avaliação. “Não estou por dentro desse assunto, mas o Parque Nacional da Serra da Bodoquena é lindo e com certeza irá agregar para o turismo em Mato Grosso do Sul”, disse ela.

Gafe do ICMbio – Autarquia vinculada ao Ministério do Meio Ambiente, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, com sede em Brasília, cometeu uma gafe imperdoável em seu site oficial ao mostrar desconhecimento sobre a localização do Parque Nacional da Serra da Bodoquena, embora seja o seu gestor.

Na apresentação do edital de chamamento público para credenciamento de prestadores de serviços para condução de visitantes, publicada no dia 17 de julho de 2020, diz que o Parque Nacional da Serra da Bodoquena fica em Mato Grosso, e ainda ressalta que o Parque está localizado no Pantanal Mato-grossense. Veja abaixo a publicação no site do ICMbio.



Deixe um Comentário