PANTANAL SUL

Rota Bioceânica: licitação da ponte sobre o Rio Paraguai será retomada em julho


Por Pantanal Oficial 18/05/2021 sem comentários


A licitação da ponte sobre o Rio Paraguai será retomada em 1º de julho deste ano, conforme garantiu o diretor-presidente da Itaipu Binacional paraguaia, Manuel Maria Cáceres Cardozo. Nesta segunda-feira (17), ele visitou o local no qual será construída a ponte internacional que irá ligar os municípios de Porto Murtinho e Carmelo Peralta, acesso vital para a consolidação da Rota Bioceânica.

A ponte terá extensão de 1.300 metros, com um vão de 360 metros sobre o rio uma altura de 22 metro. Calculada para suportar grande tráfego de caminhões bitrens, a estrutura terá pista dupla e acesso para pedestres. Concluído o processo licitatório, até o fim do ano, a obra será iniciada na sequência, com duração de 33 meses, ao custo de US$ 82 milhões.

Mato Grosso do Sul está no centro dos trabalhos e o Governo do Estado tem atuado efetivamente para a materialização deste importante corredor de integração rodoviária entre os oceanos Atlântico e Pacífico, rumo ao mercado asiático.

A Rota Bioceânica é a construção de quatro países, com participação ativa dos governos federal e dos estados que são efetivamente impactados, a participação da Itaipu no desenho e alocação de recursos.

A visita foi acompanhada pelo governador Reinaldo Azambuja, pelo secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) pelos prefeitos dos municípios região sudoeste do Estado (Bela Vista, Bonito, Jardim, Guia Lopes da Laguna, Caracol e Porto Murtinho) e demais autoridades da administração estadual, Governo Federal, Assembleia Legislativa e do Paraguai.

Secretário Jaime Verruck_Foto Divulgação

De acordo com o secretário Jaime Verruck, “havia uma preocupação dos investidores com a continuidade do processo licitatório da ponte, mas o presidente da Itaipu nos confirmou que foi uma suspensão foi momentânea e que em 1º julho será retomado o certame. A previsão é de o processo ser concluído entre agosto e setembro. A partir dessa data, teremos a empresa vencedora, que poderá começar as obras. Essa informação acaba com a insegurança que havia gerado entre os empreendedores que pretendem investir em Porto Murtinho”.

O titular da Semagro informou que irá hoje, terça-feira (18) a Brasília com o governador Reinaldo Azambuja para dar continuidade às tratativas junto ao Ministério dos Transportes sobre o projeto do acesso da BR-267 à ponte. “Vamos reiterar ao ministro Tarcísio para que assegure recursos para a construção do acesso.Estamos com projeto executivo definitivo bem adiantado e deve ser concluído até o final de 2021 para que o Dnit inicie o processo licitatório das obras”, informou Jaime Verruck.

O diretor-presidente da Itaipu binacional, Manuel Maria Cáceres Cardozo, declarou que o governo paraguaio veio à fronteira para concretizar o acordo com o Brasil, que está construindo outra ponte sobre o Rio Paraná, em Foz do Iguaçu (PR), e assim materializando o processo de edificação da travessia sobre o Rio Paraguai. “Estamos aqui para reafirmar o compromisso do Paraguai, a ponte abraça os dois países e seremos o centro da integração”, disse.

Cáceres destacou que a retomada do projeto da ponte e o avanço da obra de pavimentação asfáltica da rodovia que corta o chaco Paraguai até a fronteira com a Argentina – um dos troncos da Rota Bioceânica – são indicativos claros do compromisso do Paraguai com a integração latina e, sobretudo, com o Brasil e Mato Grosso do Sul. Ele anunciou, no ato em pleno Rio Paraguai, que a obra da ponte deverá ter início em princípios de 2022.

“A estrutura da ponte foi planejada para garantir navegabilidade na hidrovia e consolidação da região de Porto Murtinho como um importante modal logístico, interligando nosso Estado com a Rota Bioceânica e com os portos da Argentina”, finalizou o secretário Jaime Verruck

Metas para 2021

Nas prioridades para 2021 do Governo do Estado, há várias ações para a Rota Bioceânica, entre elas o avanço da integração com o setor privado, com criação de comissões de cada um dos municípios de MS impactados pela rota.

Também é possível elencar o projeto do Porto Seco em Campo Grande, que poderá ser integrado na rota, desenvolvimento de Plano Diretor de Porto Murtinho junto com pesquisas da UFMS, trabalhando sobre mudanças em relação ao turismo e desenvolvimento social da região, para o maior desafio que é o início das obras da ponte.

O Governo do Estado ainda pretende fazer a recomposição asfáltica da rota por onde passavam os caminhões dentro da cidade, melhorias no aeroporto municipal e concluir a obra da rotatória de acesso aos portos. O Dnit vai melhorar o asfalto de Alto Caracol até Porto Murtinho.

Com a reestruturação do projeto, os maiores beneficiados pelo corredor bioceânico serão o Brasil e o Chile. Isto porque a obra deve agilizar as exportações de grãos e carne produzidos nos estados do Centro-Oeste brasileiro para a Ásia (principalmente China e Japão). Além disso, os portos chilenos passarão a receber estas cargas que originalmente atravessavam o Brasil e eram levadas ao porto de Santos, com encargos de exportação mais elevados.

O projeto de conexão entre os países do cone sul da América também possui um forte apelo turístico. A rota irá permitir uma viagem única por paisagens exuberantes e diversas, ligando o Pantanal brasileiro às Cordilheiras dos Andes e ao deserto do Atacama. Por um lado, um bioma completamente interdependente da água e por outro um ecossistema adaptado a aridez.

 



Deixe um Comentário