PANTANAL SUL

Ministério da Ciência institui Programa de Apoio à Pesquisa em prol do Pantanal


Por Pantanal Oficial 20/05/2021 sem comentários


O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação instituiu o Programa de Apoio à Pesquisa voltada ao combate aos desastres ambientais no Pantanal em Portaria publicada no Diário Oficial da União nesta terça-feira (18).
A iniciativa visa compreender a dinâmica dos incêndios na região e desenvolver estratégias e instrumentos capazes de preveni-los, desenvolvendo um sistema avançado de previsão e alerta de riscos de incêndios.
Isso após estudar as causas que levam a catástrofes como a verificada em 2020, quando o fogo destruiu milhões de hectares de cobertura vegetal do bioma.

De janeiro a outubro, incêndios atingiram cerca de 4,1 milhões de hectares do bioma. Cerca de 28% do Pantanal brasileiro, segundo o Instituto SOS Pantanal.

 

“O programa amplia as ações de proteção ao bioma. Entender o Pantanal e a sua dinâmica é fundamental para evitar situações críticas como as observadas no ano de 2020. E o estímulo à pesquisa científica para gerar conhecimento nos dá mais segurança para estabelecer os ajustes necessários nas políticas públicas”, avaliou o secretário adjunto da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), e presidente da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado, Ricardo Senna.
Prevenção é a palavra- chave para o Governo do Estado
Em 2020, o Estado realizou três grandes operações de combate aos focos de calor, de março a setembro, com apoio das Forças Armadas, envolvendo bombeiros de outros estados.
Este ano, a ideia é se antecipar ao período crítico dos focos de calor na região do Pantanal, que no ano passado ocorreu de janeiro a outubro e complementar o Plano de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais no Pantanal com pesquisas e informação.
O Plano consiste na preparação das equipes, reconhecimento das áreas e estratégias das operações por terra, água e ar, e foi lançado pelo Governo de MS no dia 29 de abril de 2021.

Cervo procura abrigo em meio à paisagem devastada – agosto 2020

Este ano, o Corpo de Bombeiros terá uma estrutura operacional maior. A compra de uma aeronave modelo Air Tractor (para lançamento de água) está em processo de licitação. Contando com os investimentos (R$ 56 milhões) do Estado em viaturas, aeronaves e equipamentos, o Corpo de Bombeiros vai estruturar o 3º Grupamento de Corumbá com mais viaturas e lanchas.

Coronel Djan Leite, em Corumbá – Foto Portal MS / Divulgação

Cinco equipes serão deslocadas para as localidades de Rio Negro, Alto Paraguai, Paiaguás e Nhecolândia para reconhecimento das áreas quanto a acessos, pontos críticos e construção de aceiros para proteger as pontes de madeira.

As primeiras equipes do Corpo de Bombeiros montaram suas bases nas localidades do Morrinho (ponte da BR-262 sobre o Rio Paraguai) e no Passo do Lontra, região que abrange a Estrada-Parque e limita os municípios de Corumbá, Miranda e Aquidauana.
“O plano terá a coordenação do Corpo de Bombeiros do Estado e será aplicado em quatro etapas, sendo preparação, o que estamos fazendo agora; prevenção, resposta e responsabilidade”, adiantou o coronel Djan Leite.
“No início de abril já deslocamos duas equipes para os parques estaduais do Vale do Ivinhema e da Nascente do Rio Taquari com a mesma finalidade: levantar as áreas de maior incidência dos focos.” resume Leite.


Deixe um Comentário