PANTANAL SUL

Piloto faz imagens chocantes do antes e depois das chuvas no Pantanal do MT


Por Pantanal Oficial 05/05/2021 sem comentários


Rafael Becker, de 38 anos, a bordo de uma aeronave registrou a diferença entre o Pantanal de agosto de 2020 (antes da chuva) para o Pantanal de agora (fevereiro de 2021- período chuvoso).

As fotos foram tiradas em um trecho entre Jangada e Cuiabá, sobre a BR 364.

Rafael trabalha em Tangará da Serra (MT) e durante as viagens até a capital faz registros de algumas regiões por onde passa. “É interessante e chocante a diferença. Parece que uma foto é no deserto e a outra na floresta, só por causa da época. Até eu que estou acostumado a ver esses cenários diferentes, ao colocar as fotos lado a lado, me espantei. A diferença é brutal”, disse.

As entidades emitiram um comunicado, em abril deste ano, alertando que os incêndios ocorridos no bioma em 2020 podem se repetir ou até se intensificar em 2021, caso as medidas de prevenção não sejam tomadas com urgência. Trecho entre Jangada e Cuiabá antes e depois das chuvas — Foto: Rafael Becker/Arquivo pessoal

Rafael é piloto há 20 anos e, segundo ele, todos os anos sobrevoa áreas atingidas pela seca e, consequentemente, pelo fogo. “Faço muito essa rota Tangará/Cuiabá. A foto foi tirada por cima de uma fazenda na época da seca. A segunda é exatamente o mesmo lugar, apenas a vegetação que está bem diferente. Isso mostra o quanto a região fica vulnerável para queimada, pois seca muito”, ressaltou.

O piloto disse que fez os registros propositalmente, pois sabia do cenário que encontraria antes e depois das chuvas. “É uma forma de conscientizar a população sobre como a região fica vulnerável neste período. A gente tem uma visão um pouco mais ampla que quem está acostumado a andar em estrada”, explicou.

Outras imagens que mostram a mudança de paisagem no estado foram registradas em setembro de 2020, no entorno da Rodovia Transpantaneira, que liga o município de Poconé, a 104 km de Cuiabá, a Porto Jofre, na divisa com Mato Grosso do Sul.

A Transpantaneira tem 150 km de extensão e é conhecida por ser um atrativo turístico da região. Ela cruza a maior planície alagável do planeta e teve sua área verde devastada pelas queimadas.

FONTE: *Veja AQUI a reportagem completa do G1.



Deixe um Comentário